Depois da amputação

Imediatamente após a operação, a sua recuperação e a cicatrização do membro residual são as principais preocupações. Ambos são importantes para que você possa iniciar logo a reabilitação e a prótese possa ser adaptada.

 
 
 
Cena pós-amputação na cama.

O que esperar após a amputação?

Depois da amputação, curativos (ou bandagens) especiais para a cicatrização de feridas são aplicados sobre o membro residual. O principal objetivo é a cicatrização rápida da ferida cirúrgica e a preparação do membro residual para a futura prótese.

A fase pós-operatória inicial concentra-se em três metas de tratamento: ter pouca ou nenhuma dor, se possível; que o membro residual torne-se capaz de suportar peso; e que você atinja a mobilidade ideal do membro residual, em todas as direções.

Para cumpri-las, é importante que o seu médico ou fisioterapeuta lhe mostre algumas indicações importantes imediatamente após a operação: o posicionamento correto na cama, de forma que os músculos e a articulação mais próximos ao membro residual não encurtem ou enrijeçam; exercícios regulares de respiração; e exercícios leves de movimento e mobilidade. Tais medidas ajudam a garantir que você possa receber uma prótese rapidamente e sem complicações, para poder se manter móvel e ativo.

Posicionamento correto

Imediatamente após a operação, é provável que você não consiga manter-se deitado por períodos mais longos nem se virar sozinho na cama. Por isso, você deve receber auxílio da equipe de enfermagem para se reposicionar várias vezes por dia. Esse reposicionamento é importante, pois evita ao máximo as dores e também previne o surgimento de escaras decorrentes da pressão. Manter postura corporal correta também é crucial para a sua mobilidade.

Cicatrização do membro residual

Ao acordar da anestesia, a perna geralmente já está coberta por curativos, que consistem em bandagens simples ou em um gesso dos quais sai um pequeno tubo. Esse tubo é inserido no corte durante a operação para drenar fluidos e sangue da ferida. Conhecido como dreno, ele é removido ao longo do processo de cicatrização.

Na maioria dos casos, a ferida da amputação regenera-se em três a quatro semanas, com a formação de uma cicatriz. Mas mesmo que por fora a cicatriz pareça bem curada, com apenas leves mudanças na cor do tecido a partir desse momento, o processo completo de cicatrização é bem mais demorado. A cura completa sob a pele só se dará após aproximadamente um ano e meio.

O tratamento intensivo (terapia de compressão e aplicação de cremes) é extremamente importante durante esse período, para garantir que o tecido da cicatriz mantenha-se macio e flexível, mas ao mesmo tempo se tornando resiliente. Isso é essencial para o uso da prótese.

Compressão inicial do membro residual

Um inchaço inicial do tecido do membro residual é esperado após a operação. Esse inchaço (edema) é uma reação natural à operação, que geralmente regride após cerca de uma semana.

Logo após a amputação, é aplicada pressão em grandes áreas do membro residual, com a ajuda de bandagens elásticas, meias de compressão ou outros recursos médicos. O propósito da terapia de compressão é reduzir o edema do membro residual e otimizar suas condições para a adaptação subsequente de uma prótese. Isso é importante, pois um edema pronunciado do membro residual retardaria a cicatrização e isso faria o membro residual demorar mais para atingir sua forma final, quando a adaptação da prótese é possível. A compressão também estimula a circulação no membro residual, reduzindo as dores e melhorando a cicatrização da ferida.

O tipo de tratamento do membro residual mais adequado ao seu caso – com bandagens elásticas, meias de compressão ou liner de silicone – depende da técnica cirúrgica, do nível de amputação, das condições da ferida e da experiência específica da sua equipe de tratamento. O melhor método para você será o escolhido.

Exercícios de movimento

Para preparar o seu corpo o melhor possível para os passos seguintes do tratamento, exercícios de fortalecimento da musculatura do torso, dos braços e das pernas são altamente recomendados. Peça ao seu fisioterapeuta para lhe mostrar os exercícios de movimento que auxiliem na sua recuperação e também ofereçam o melhor treinamento possível para as articulações próximas ao local da amputação. Os exercícios podem ser executados com pesos leves e faixas para fisioterapia, em posição deitada, sentada ou em pé. O membro residual também deve ser incluído nos exercícios.

Esses exercícios de movimento previnem o enrijecimento dos músculos e articulações. Familiarize-se também com os padrões de movimento com a perna amputada, que no começo são diferentes. O fisioterapeuta deve lhe mostrar os exercícios e verificar que estejam sendo executados corretamente. Ele ou ela poderá lhe prescrever os exercícios certos para cada momento.

Treinamento de mobilidade

É chegada a hora de treinar para a mobilidade. Sentar-se na cama sozinho e transferir-se para a cadeira de rodas provavelmente será difícil de início. Mas com alguma prática, você logo dominará essas ações. Mais uma vez, o seu fisioterapeuta deve instruí-lo em detalhes. É comum haver tiras ou alças na cama para você usar como apoio. Logo você também se levantará pela primeira vez. Mas como o peso de equilíbrio original do membro amputado não estará mais presente, conte com dificuldades de equilíbrio no começo. Inicialmente, um andador ou outros apoios para caminhar podem ajudá-lo a manter o equilíbrio após a amputação da perna.

Protetização imediata e preliminar

Em alguns casos, uma prótese inicial pode ser adaptada logo após a amputação. Com uma prótese imediata como essa, logo é possível apoiar parcialmente o peso no membro residual e iniciar o treinamento de marcha. A protetização imediata geralmente já é feita cerca de dez dias após a amputação. No entanto, esse tipo de prótese não é adequado para todos os níveis de amputação. O seu médico, fisioterapeuta e técnico ortopédico decidirão juntos se essa opção existe no seu caso. Caso essa protetização preliminar seja possível, você receberá uma nova prótese após algumas semanas. Essa primeira prótese é conhecida como prótese provisória, ajustada individualmente para você pelo técnico ortopédico. Ela é própria para os passos iniciais e os primeiros exercícios em pé.

Boa navegação e aproveite todos os benefícios oferecidos.